terça-feira, 14 de outubro de 2008

Tempo Bifurcado

Elizabeth Magill
Um só dia durando a voz
subterrânea ranhura na cortina
verde de teu coração florindo
puro na tensa atenção do amor

1 comentário:

JoãoSilveira disse...

Gosto particularmente deste poema.
É como se encontrasse toques de alguns dos meus poetas favoritos - um pouco de Luís Miguel Nava aqui, cummings ali, lá ao fundo Ramos Rosa - mas aglomerados numa espécie de haiku que não o é.

Gostei mesmo.